Teatro na Escola - Introdução PDF Imprimir E-mail

Usando o teatro em sala de aula

Dicas e orientaçõesque constam dos livros da coleção Teatro na Escola

Por Cristina Maria Brigagão Abalos, Dora Regina Zorzetto Garcia, Pedro Paulo Salles e Vilma Lúcia Furtado Paschoa.

Sabemos que o faz-de-conta é componente fundamental para o desenvolvimento sadio de nossa personalidade, de nossa psique e de nossa sociabilidade. Ele permite que a criança e o adolescente vivenciem as virtudes que irão, depois, formar seu caráter: solidariedade, lealdade, ética, compaixão coragem etc.

Entretanto, em torno dos 8 anos de idade, esse faz-de-conta espontâneo costuma diminuir consideravelmente na criança pois, ao entrar na escolaridade e se aproximar da adolescência, existe uma lacuna nos currículos que a impede de prosseguir nesse exercício lúdico de que ela tanto precisa para expressar suas fantasias e desenvolver competências para a vida adulta e a cidadania plena.A meta da coleção Teatro na Escola é justamente ajudar o professor a preencher esta lacuna.

Hoje, numa época de crescente banalização da língua escrita e falada, esta obra propõe o reencontro dos jovens com textos de qualidade impecável, com o objetivo de lhes desenvolver o faz-de-conta e o “dom da palavra”. Proporcionar aos jovens o contato com a qualidade poética, lingüística e musical, permitirá que desenvolvam um senso estético mais apurado, que lhes ensine a diferenciar, valorizar e apreciar o belo, na arte e na vida. São todos textos de alta qualidade literária, incluindo diferentes tipos de linguagem, de acordo com o contexto e com as características de cada peça.

Desta forma, há peças sobre os sinais de pontuação e sobre a gramática da língua portuguesa, por exemplo. Há outras sobre feitos históricos, tanto brasileiros, quanto da história universal, abordando mitologia, epopéias medievais, temas bíblicos etc. Professores também encontrarão jograis e peças sobre lendas, contos e folclore. Temas relacionados à natureza e à biologia também são trabalhados e diversos outros, lembrando sempre que o português, em especial a linguagem oral, assim como a música, permeia todo o trabalho. O teatro como tema transversal potencializa o aprendizado de diversas matérias, pois a vivência lúdica faz com que o aluno se aproprie do conteúdo vivenciado. 

Flutuando entre o sentir, o agir e o pensar, estão, no plano social, a ética e a moral. O teatro é tudo isso, é o sentir e o pensar, e é a ação com toda a sua carga moral e ética.Assim, pode possibilitar à criança e ao adolescente que dele participam, e inclusive ao próprio professor, uma reflexão profunda sobre o ser. O teatro, com a poética de seu texto, com sua corporalidade, com a sintaxe das vozes, com a estética do espetáculo cênico, com a semântica das músicas e com seu fluxo de tempo semelhante ao tempo vivido é intensa oficina de vida.

A escolha da peça

A definição de um tema e a escolha de uma peça a ser montada com as crianças é uma responsabilidade do professor junto ao seu coordenador pedagógico. Pelo menos até o fim do Ensino Fundamental, esta escolha nunca deve recair sobre os alunos, cujos critérios, conhecimentos e capacidade de julgamento ainda não estão prontos para que eles avaliem a adequação de um ou outro tema. Esta é uma escolha pedagógica de grande importância no processo de desenvolvimento dos alunos e deve ser muito criteriosa.

Que critérios são utilizados para esta escolha? Fundamentalmente três:

O aspecto curricular

A peça de teatro nunca deve ser algo acessório, montado apenas para uma apresentação festiva; a preparação da classe para a encenação é o cerne do trabalho educativo, sendo bem mais importante que a encenação final para pais ou outras classes, que pode até nem acontecer. O fundamental é valorizar os processos vivenciados pelas crianças e o que se consegue atingir e desenvolver nelas. Se, no transcurso do trabalho, se decidir por uma apresentação, o professor deve garantir que ela aconteça com tranqüilidade para que as crianças se sintam seguras e realizadas. O teatro é uma maneira muito eficaz e prazerosa de trabalhar dicção, escrita, desenho e outros conteúdos curriculares. Até mesmo a gramática ou a matemática podem ser dramatizadas e, assim, aprendidas.

A idade da criança

Há peças indicadas para cada faixa etária e ano escolar, tanto com relação ao tema, quanto com relação ao nível de exigência, da linguagem, da complexidade de cenas, do conteúdo etc.

A classe, o momento em que se encontra e do que necessita

O professor precisa desenvolver a sensibilidade para, ao escolher uma peça entre várias selecionadas, levar em conta o mais adequado para sua turma considerando suas características e, naquele momento preciso, o que poderá ajudá-la a atingir os objetivos educacionais mais importantes.

 
aquarela4.jpg

Creative Commons 3.0

Você pode copiar, distribuir, exibir e executar os conteúdos desta página, mas não pode utilizá-los com finalidades comerciais, não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta, e deve dar sempre o crédito ao autor original.

Leia Mais