São Pedro, o Rico e o Pobre PDF Imprimir E-mail

Conto de tradição oral

Coletado por Ruth Salles

Certa vez, num dia em que São Pedro viera até à terra ver como andavam os homens, encontrou-se com um pobre e um rico que se queixavam da vida amargamente. O pobre se queixava daquilo que não tinha, e o rico daquilo que ainda queria ter.

Disse-lhes são Pedro:

- Não se lamentem assim, meus filhos! Queixas amargas tingem de escuro toda a doçura dos corações que estão à sua volta. Entreguem a Deus suas dores, e procurem tingir os corações que os rodeiam com as cores da aceitação, do contentamento, da esperança, da alegria simples, da generosidade, que são cores claras e belas. Quando seu tempo terminar aqui na terra, vocês verão que obra linda terão edificado com esses pensamentos de amor.

O pobre ouviu o que disse São Pedro e seguiu fielmente seus conselhos. O rico, porém, inquieto demais por tudo o que sonhava possuir, não tinha tempo nem vontade de pensar no que girava à sua volta, e assim foi vivendo de queixa em queixa.

No fim de seu tempo aqui na terra, encontraram-se os dois no céu, e o rico perguntou ao pobre onde é que estava morando. O pobre apontou-lhe bela mansão no alto de uma colina.

- Mas como? – reclamou o rico. – Então você mora aí tão confortavelmente, e eu, rico e importante que fui, vivo apertado num cubículo naquele grotão?

E, assim dizendo, foi queixar-se a São Pedro. O santo ouviu-o pacientemente e respondeu: - Ah, meu filho, todos os dias de sua vida o pobre me mandava um tijolinho aqui para o céu, só com sua atitude generosa, ao passo que, de você, só recebi o que deu para construir esse cubículo no grotão.

 

Creative Commons 3.0

Você pode copiar, distribuir, exibir e executar os conteúdos desta página, mas não pode utilizá-los com finalidades comerciais, não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta, e deve dar sempre o crédito ao autor original.

Leia Mais